Oi Batatinha! | Funday #25

jun 2, 2017 by     1 Comentário     Postado em: Funday



Antes de falar de batatas, preciso dizer umas coisas. Para pular direto para as batatas, vá para o terceiro parágrafo.

A Manézinha é um cãozinho sensacional demais. Sério! Ela surgiu na minha vida no melhor momento possível. É como se a gente tivesse aprendido a sobreviver juntas. Não dá nem pra explicar, eu devo ter sido ela na vida passada e ai a gente viajou pro futuro e foi assim que eu virei meu próprio cachorro. E esse ano foi tenso pra ela! Mas ela foi o que? Sensacional.

Já fazia tempo que eu enrolava pra castrar ela, por medo, por querer ter uma casa cheia de manezinhas, por medo de novo, por medo pra caralho mesmo. Mas a coisa foi complicando quando ela começou a ter gravidez psicológica sempre, dava uma dó que poxa! No inicio do ano criei coragem e marquei! Pois bem, meu medo foi ficando complexo, arreguei e remarquei pro feriado de carnaval. Fui até lá tentar tirar todas minhas duvidas pra tentar ficar mais tranquila. Não tava satisfeita porque tavam tratando a coisa toda de forma muito simples, e sim, é simples, mas tem casos que complicam, e o que eu queria era saber que ela estaria o mais segura possível caso complicasse. Mas num deu, continuei com medo. E desisti de novo. Comecei a procurar novas pessoas que me passassem mais segurança, porque fazer teria que fazer, então pelo menos deixa eu fazer tudo que eu posso pra correr tudo bem. E o que aconteceu nesse meio tempo? Gravidez psicológica de novo e dessa vez bem pior. Já tinha decidido com quem ia fazer, fizemos exames pra ver se tava tudo ok, mas tinhamos que esperar essa fase passar pra ter mais segurança. Tinha dado tudo ok nos exames, excetos algumas alterações por conta dos filhotes imaginários dela né. Mas foi tenso! Ela não comia, vomitava, achava que as almofadas e minha perna fossem filhotes dela, ficou até um pouco agressiva. E ai cabou! Bora resolver isso? Fizemos exames novamente e ai meu chão sumiu do mapa: ela estava com doença do carrapato. =( A imunidade baixou tanto com a ultima gravidez que algum parasita que estava fraco nela acabou ficando forte. Tinha anos que ela não pegava carrapato, então era a única explicação. E lá foi um mês cuidando dela pra tudo ficar bem. E no meio disso tudo, eu descubro que tava pra chegar mais um membro na família!

Dia 6 de abril nasceu a Batatinha! O Raul serelepe estava caçando um filhotinho de salsicha desde o final do ano passado, e finalmente deram notícia, bem no meio dessa zona toda que tava acontecendo! Eu lerda vi que chegou uma mensagem no celular dele e avisei. Ele desesperadour e sem saber guardar segredo contou: preciso te mostrar uma coisa! E lá estavam as fotos de 348957848354 negocinhos peludinhos bonitinhos salsichantes boniticos e ela lá no meio! Olha, que meses malucos foram esse abril e maio! Cuidamos da Mané até ela ficar 100% e ela ficou. Por que ela é o que? Porque ela é sensacional. E ai chegou a hora que eu tava enrolando desde que eu era um cachorro na vida passada e viajei pro futuro e virei meu próprio cachorro. Dia 8 de maio foi a cirurgia e foi tudo bem demais da conta jesusmariaducéu que alivio! Dai foi só uns dias de Mané desfilando de maiô rosa dos power rangers (porque o maiô azul eram pra proteger bolas roubadas, e por mais que eu goste de azul e o Raul tenha falado 50 mil vezes pra Mané “cade suas bolas?”, a Mané nunca teve bolas. Sim gente. Mané é uma molier, que dia ces vão aprender isso? hahahaha!). Depois disso tudo, e de uma Mané sensacional recuperada 100% maravilhosa minhanossinhrorateamomané, tinha uma Batata completando 45 dias e era hora de conhecer ela. É eu sei. A Mané deve ter vivido 59 anos de experiência nesses ultimos meses.

Dia 20 de maio, sai do casamento e já tava maluca. Tinha que dar 20h. Faltava muito tempo pra 20h. Fui pra casa e as 20h ainda não chegava. Faltavam 2 horas. Decidi dormir. Sonhei pacas. Acordei. Tinha passado 17 minutos. Mas não pode ser possível. Dormi de novo. ACORDEI É AGORA! O relógio está errado, porque passaram só 23 minutos.

PELAMORDEDEUSCADEASBATATAS.

Raul foi se arrumar. Atrasou. Disse que eu que atrasei porque eu ja tinha trocado de roupa 5 vezes. Disse que a Batatinha não ia importar com a minha roupa não. Uma baita mentira, eu troquei de roupa porque tava frio e eu não tenho roupa de frio direito então nada fazia sentido, ou ficava frio ou quente demais. Fomos buscar ela. Uberlândia tava mais comprida que o normal. Minhanossinhora como foi que a gente atrasou? NÃO FOI MINHA CULPA. Chegamos. Me botaram no cantinho pra eu não gerar intriga canina. Soltaram a Mané. E ai ela veio, toda salsichante, toda 50 metros de orelha, toda longa, toda bafinho de filhote, foi cheirada até as profundezas pela Mané. E aí ela veeeeeeeio pra ciiiiiima de miiiiiiim. E eu não sabia o que fazer, então eu chorei por dentro enquanto fazia uma cara bugada por fora.

Fiquei com a cara bugada e em estado de socorro por vários dias. A Mané e ela foram se acostumando uma com a outra e o Raul cada dia que passa faz mais cara de apaixoneide quando tá com ela no colo. Os catioros aprenderam a brincar de briga e me deixam maluca sem saber se é amor ou intriga. Mas é amor gente. Mesmo quando a Mané rosnava de verdade e a Batatinha TazMania Batutinha Sem Noção do Perigo desequilibrava e rolava e ficava de barriga pra cima e dava uma lambidinha na cara da Mané. COMO FICAR NERVOUSER COM ISSO?

Agora estou aqui vivendo num campo minado de xixi mais uma vez. Ouvindo várias patinhas loucas pela casa. Vendo ela correndo toda maluca com as orelhas saltitando tanto que ela quase voa. Vendo a Mané com uma amiguinha pra brincar enquanto eu tenho que trabalhar. Rindo demais quando a Batatinha toda longa esquece que tem as patas de trás e de repente só se arrasta. Sabendo que logo em breve não haverão mais móveis, paredes e sapatos nesta casa. Sendo acordada com um cachorro abraçado em mim e outro comendo minha cara. Ai gente! SOCORRO!



Deixe um recado!



Facebook



Ou Use seu Email

1 Comentário Adicionar Comentário